a olhando p ceu

Luz da Fé: Onde existir amor, ali o Céu acontece

Que o Céu aconteça no seu coração

O Catecismo da Igreja Católica, do número 325 ao número 327, traz-nos o seguinte ensinamento: “Na Sagrada Escritura, a expressão “céu e terra” significa tudo aquilo que existe, a criação inteira. Indica também o nexo no interior da criação, que ao mesmo tempo une e distingue céu e terra: “a terra” é o mundo dos homens; “o céu” ou “os céus” pode designar o firmamento, mas também o “lugar” próprio de Deus: “nosso Pai nos céus” (Mt 5,16) e, por conseguinte, também o “céu” que é a glória escatológica. Finalmente, a palavra “céu” indica o “lugar” das criaturas espirituais – os anjos – que estão ao redor de Deus”.

Chamou-me muito a atenção a expressão usada pelo Catecismo da Igreja como significado para o Céu: “lugar” próprio de Deus. Inclusive, a palavra de Deus nos atesta essa realidade: “Eis o que diz o Senhor: ‘O Céu é Meu trono, e a terra Meu escabelo. Que casa poderíeis construir-Me, que lugar poderíeis indicar-me para moradia?’” (Is 66,1). É no Céu, portanto, que o Senhor nosso Deus se encontra em Seu trono de graça e de glória.

O sonho de Dom Bosco

Conta-se que: Dom Bosco, certa vez, sonhou com o Céu. E no sonho de Dom Bosco, ele encontrava-se com Domingos Sávio. Num diálogo com ele, Dom Bosco perguntou-lhe sobre o passado, o presente e o futuro da Congregação Salesiana. No instante em que é revelado o presente da sua congregação, Dom Bosco recebe de Domingos Sávio um ramalhete de flores. O próprio santo narra essa experiência com as seguintes palavras:

“Sávio me apresentou um magnífico ramalhete que tinha nas mãos. Nele haviam rosas, violetas, girassóis, gencianas, lírios, sempre-vivas e, entre as flores, espigas de trigo. Domingos Sávio me ofereceu e me disse: ‘Observa’. Respondi-lhe: ‘Eu vejo, mas não entendo’. Domingos Sávio, então, diz a mim: ‘Dá este ramalhete a teus filhos para que possam oferecê-lo ao Senhor quando terminar o momento. Procura que todos o tenham. A ninguém lhe falte, nem o deixe tirar. Podes estar certo de que, com ele, terão o suficiente para ser felizes’.

‘Mas, o que significa esse ramalhete de flores?’, perguntei a Sávio. ‘Consulta a Teologia! Ela te dirá e te dará a explicação’, respondeu-me. Ainda sem compreender, eu disse: ‘Eu estudei Teologia, mas eu não saberia como tirar dela o significado disso’. ‘Você tem estrita obrigação de saber tudo isso’, advertiu-me Domingos Sávio.

‘Vamos, tira-me da minha ansiedade! Me explica o que significa esse ramalhete’, disse a Domingos. Então, ele me responde: ‘Vê estas flores? Elas representam as virtudes que mais agradam ao Senhor. A rosa é o símbolo da caridade. A violeta, da humildade. O girassol, da obediência. A genciana, da penitência e da mortificação. As espigas, da comunhão frequente. O lírio indica a bela virtude da castidade. E a sempre-viva significa que todas essas virtudes devem durar sempre, ela simboliza a perseverança’.”

Que o Céu aconteça no seu coração

A partir dessa afirmação do Catecismo [de que o Céu é o “lugar” próprio de Deus], quis contar esse sonho de Dom Bosco para que compreendamos que esse Céu acontece, onde acontece o amor. Onde existir o amor, ali o Céu acontece. Onde existem as virtudes, ali o Céu se manifesta.

Céu precisa começar no meu coração, na minha mente, nos meus relacionamentos, seja em casa ou no trabalho. O Céu precisa concretizar-se nas amizades que cultivo. Tomando posse desse ramalhete das virtudes, o Céu começa a manifestar-se na vida de cada um de nós.

Ora, se o Céu é o lugar onde Deus habita e é certo que o Senhor, também, habita nos nossos corações, logo, o Céu deverá, também,  começar a acontecer dentro da gente.

Diante disso, peça ao Senhor que o Céu comece dentro de você. Suplique a graça de que o Céu aconteça no seu coração.

Um homem, seu cavalo e seu cachorro

Concluo com essa historinha:

Um homem, seu cavalo e seu cachorro caminhavam por uma estrada. Depois de muito caminhar, esse homem se deu conta de que ele, seu cavalo e seu cão haviam morrido num acidente.

Precisavam desesperadamente de água. Numa curva do caminho, avistaram um portão todo magnífico, todo de mármore, com calçada com blocos de ouro no centro, na qual havia uma fonte de água cristalina.

O caminhante dirigiu-se ao homem que, numa guarita, guardava a entrada.
– “Que lugar é este, tão lindo?”
– “Isto aqui é o Céu”, foi a resposta.
– “Que bom que nós chegamos ao Céu, estamos com muita sede!”, disse o homem.
– “O senhor pode entrar e beber água à vontade, mas seu cavalo e cachorro não podem entrar.

O homem ficou muito desapontado, porque sua sede era grande. Mas, ele não beberia, deixando seus amigos com sede.

Assim, prosseguiu seu caminho. Depois de muito caminharem, eles chegaram a um sítio. Num caminho de terra, com árvores dos dois lados que lhe faziam sombra.

À sombra de uma das árvores, um homem estava deitado:

– “Bom dia! – disse o caminhante – Estamos com muita sede, eu, meu cavalo e meu cachorro”.
– “Há uma fonte logo ali”, disse o homem e indicando o lugar.
O homem, o cavalo e o cachorro foram até a fonte e mataram a sede.
– “Muito obrigado”, ele disse ao sair.
– “A propósito, disse o caminhante, qual é o nome deste lugar?”
– “Céu”, respondeu o homem.
– “Céu?”
– “Mas, o homem na guarita ao lado do portão de mármore disse que lá era o Céu!”
– “Aquilo não é o Céu, aquilo é o inferno”.
– “Mas então, disse ele, essa informação falsa deve causar grandes confusões”.
– “De forma alguma! – respondeu o homem – Na verdade, eles nos fazem um grande favor, porque lá ficam aqueles que são capazes de abandonar até seus melhores amigos“.

O Céu é o lugar onde não abandonamos aqueles a quem amamos. É o lugar onde existe lealdade, fidelidade. O Céu é o lugar próprio de Deus.

Que esse Céu comece agora no seu coração! Ame e tome posse desse ramalhete de virtudes que o Senhor lhe entrega e, você, verá o Céu manifestando-se na sua vida.

Um forte abraço!

Assista ao programa clicando no link abaixo:

https://youtu.be/piBu5AyAHUg

Alexandre Oliveira

Membro da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Alexandre é natural da cidade de Santos (SP). Casado, ele é pai de dois filhos. O missionário também é pregador, apresentador e produtor de conteúdo no canal ‘Formação’ do Portal Canção Nova.

Fonte: Canção Nova

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *