pessoa-certa2

À procura do homem (mulher) ideal

Não existem homens e mulheres perfeitos. Nós crescemos juntos durante o relacionamento

É bem cedo que começamos a idealizar nosso futuro. Geralmente, ainda crianças, meninas ganham bonecas e brincam de ser mães, enquanto meninos ganham carrinhos e fazem de conta que são heróis. O tempo vai passando e, de repente, o que parecia muito distante, vai criando forma e se aproximando de nós como se acordássemos de um sonho. É aí que nos damos conta de que se quisermos ser “mamães” de verdade, precisaremos deixar as bonecas de lado e abrir os olhos para enxergar onde está aquele que poderá ser nosso marido. Os meninos percebem que carrinhos pequenos já não tem tanta graça, que as meninas são diferentes umas das outras; inclusive, tem aquela que lhe chama muito à atenção. Ou seja, crescemos! As nossas fantasias ainda nos acompanham, é claro, mas já não precisamos tanto de brinquedos para nos divertir, existe um novo horizonte a ser desbravado e o amor pede passagem.

Nao-existem-homens-e-mulheres-perfeitos

É nessa hora também que enfrentamos diversos desafios; inclusive, um deles é fazer a travessia do conceito da pessoa ideal, que até então fazia parte dos nossos sonhos, para a pessoa real que pode estar ao nosso lado. Não temos muita noção das coisas, mesmo assim, nos aventuramos a amar o sexo oposto e achamos isso o máximo!

Lembro-me, por exemplo, de que, quando passei por essa fase, imaginava encontrar um príncipe lindo e maravilhoso para se casar comigo, mas queria que ele fosse também um jardineiro para me dar muitas flores. Imagine a discordância: um príncipe jardineiro! Eu não me preocupava se ele seria capaz de me amar na saúde e na doença, se seria responsável, trabalhador… A minha fantasia ainda falava mais alto que a realidade. Porém, com o passar do tempo, o normal é que a realidade vá crescendo e a fantasia diminuindo dentro de nós, até chegarmos à maturidade e nos dispormos a escolher aquele ou aquela com quem sonhamos casar, mas com os pés no chão. Saindo do ideal da fantasia, que imagina pessoas perfeitas e, portanto, irreais para a realidade que nos cerca, encontramos pessoas maravilhosas e dispostas a crescer, que só precisam ser acolhidas e amadas.

Aliás, acredito que um dos pontos que tem feito muita gente continuar solteira e sofrendo por não ter encontrado ainda “o amor da sua vida” é, justamente, o fato de ter parado na fantasia sem fazer a travessia para a realidade. Quem age assim acaba se decepcionando repetidas vezes; em alguns casos, até mesmo desistindo de amar, o que, aliás, acredito ser uma das piores escolhas que o ser humano possa fazer na vida. Por outro lado, quem decide amar o real, embora diferente, abre as portas para ótimas surpresas.

Que tal, no dia de hoje, despedir-se da fantasia e dar um salto para a realidade? Você pode levar alguns conceitos e preferências com relação à pessoa com a qual deseja assumir um compromisso sério sim; inclusive, considero isso necessário. Afinal, estamos escolhendo alguém que passará o resto da vida ao nosso lado. Mas fique atento se seus ideais são atingíveis ou se você ainda está em busca do príncipe ou da princesa perfeitos dos contos de fadas. Não deixe que sua preferência limite demais sua busca; afinal, se as características desejadas no outro não forem absolutamente imprescindíveis, por que não dar abertura às pessoas um pouco diferentes da quais você imaginou?

O amor tem um grande poder de transformação. Conheço histórias de pessoas que ousaram amar o diferente e descobriram que era justamente o que estavam procurando. Na verdade, ninguém está totalmente pronto para dividir a vida com outra pessoa; é o amor que damos e recebemos que vai nos moldar a cada dia e nos tornar melhores. E digo ainda: não há nada mais gratificante do que perceber uma pessoa mudada pelo fato de você ter decidido amá-la, ou perceber que estamos mudando, porque alguém decidiu nos amar. Também é certo que, quando encaramos nossa verdade e decidimos pautar nossa vida sobre ela, Deus sempre nos ajuda, já que Ele é o maior interessado em nossa felicidade e não está alheio aos nossos sonhos. Isso, é claro, aplica-se também aos nossos relacionamentos.

Lembre-se de que o romance ideal não existe nem está à venda nas vitrines, mas se você tiver a coragem de fazer a travessia, saindo do imaginário e procurando um romance real, poderá torná-lo “ideal” pela força do seu amor. Então, mãos à obra!

Contemple a beleza que está à sua volta e abra-se às novidades que a vida lhe oferece hoje. Sorria mais, abrace mais, preste mais atenção nas pessoas, exalte mais suas virtudes e promova o bem sem jamais desistir de amar, porque essa é a realidade que o conduzirá à verdadeira felicidade!

Veja mais:
:: Como escolher um namorado?

Dijanira Silva

Dijanira Silva, missionária da Comunidade Canção Nova, atualmente reside na missão de São Paulo. Apresentadora da Rádio CN América (SP). E-mail: http:// dijanira@geracaophn.com

TEXTO EXTRAÍDO DO SITE DA CANÇÃO NOVA – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *